quinta-feira, 23 de junho de 2011

Capítulo 6

-Oi, eu sou Alice.

Alice se juntou aos outros e ficaram conversando. O outro garoto se chamava Mitchel Gabe e era meio reclamão.

Depois de algum tempo, a seleção acabou e John tinha ido pra Terra.

Marta King anunciou o banquete e as estátuas de cristal ganharam vida, servindo os alunos.

Uma das estátuas- uma mulher de longos cabelos ondulados, com um vestido rasgado e velho, porém gracioso e pés descalços - foi servir a mesa de Alice. Seu nome era Mariah Lendsome, foi esculpida na abertura da escola.

Alice comeu como jamais havia comido. Depois de vários empadões de frango, pastelões, biscoitos, lanches e copos e mais copos de refrigerantes e sucos, não aguentavam comer mais nada!

Quando todos já estavam satisfeitos, a diretora dispensou-os pra cama e outras estátuas os conduziram até seus respectivos quartos.

Ao chegar lá, Alice se impressionou mais: o dormitório era amplo, iluminado por grandes tochas e uma lareira que ela considerou gigante. Era mobiliado com mesas redondas de mognos, grandes poltronas fofas escarlates e decorado com tapeçarias de cores quentes. Os alunos mais velhos já estavam aconchegados nas poltronas. No fundo da sala, havia duas escadas que levavam até as camas.

Todos os outros alunos novos começaram a ficar com sono, e Alice não foi exceção. As meninas seguiram pela escada da esquerda e os meninos pela da direita.

O dormitório era bem simples: as paredes eram laranja claro e as camas tinham lençóis vermelhos. Alice viu suas coisas ao pé de uma das camas. Pegou uma camisola, vestiu-se e deitou. Estava com sono, mas muito ansiosa pelo dia seguinte, afinal seria seu primeiro dia de aula...

sexta-feira, 25 de março de 2011

5º capítulo

Quando eles entraram por aquelas portas, Alice ficou de boca aberta e paralisada com o esplendor do salão.


 

O chão era de mármore bem claro, com mesas circulares espalhadas pelo salão, todas com a estrutura de ouro e tampo de alguma pedra preciosa. Alguns de rubi, outros de esmeralda, turquesa e água marinha.

O salão era bem largo e iluminado por centenas (talvez milhares) de bolinhas de luz flutuantes. Era decorado com estátuas de cristal delicadas e imponentes ao mesmo tempo. Em uma das pontas tinha uma grande porta branca e dourada. Na outra, uma comprida mesa retangular se estendia ao longo da parede. Essa também tinha a estrutura de ouro, porém o tampo era do mais límpido diamante. Todas as cadeiras eram de mogno com um estofado de veludo combinando com o tampo da mesa.

No centro do salão havia um circulo com quatro coisas dentro: um montinho de terra, uma pequena fogueira, uma poça d'água e um cata-vento.

-Benvindos de volta- disse Marta King, sobressaltando Alice- meus antigos alunos. E benvindos, novos alunos. Como se é de costume, começaremos a seleção agora. A seleção é feita para identificar seu elemento e, assim, separá-los em grupos. Acho que todos sabem quais são os Quatro Elementos, certo? Água, fogo, terra e ar. Conforme eu chamá-los, por favor, venham até o centro do circulo.

Alice ficou meio assustada, não sabia o que fazer! Marta começou a chamar os alunos em ordem alfabética de sobrenome, e Alice ficou aliviada. Seu sobrenome começa com M, ela poderia ver o que os outros faziam e copiar.

-Sophie Albuquerque!- chamou Marta.

Uma menina mirradinha de olhos cor-de-mel e cabelo castanho, chanel com mechas brancas e franja de lado saiu de trás de Alice com ares tímidos e caminhou até o centro do círculo de cabeça baixa. Ela estendeu a mão pra poça d'água, esperançosa, mas nada aconteceu. O mesmo aconteceu com o cata-vento e o montinho de terra. Porém, quando estendeu a mão pra fogueira, a chama se avivou quase que instantaneamente.

Todos que estavam sentados nas mesinhas de rubi se levantaram e aplaudiram com animação. Sophie se dirigiu sorridente a uma das mesas.

Blossom, terra. Brave, água. Calligan, fogo. Dolson, ar. Fitzpatrick, fogo.

-Lilly Fletcher!

Lilly congelou ao lado de Alice, rezando pra não ir pro ar. A principio, ela não entendeu por que, mas John a explicou.

-Os do ar são os mais metidos, acham que são os mais importantes, pois sem o ar não há vida.


 

Ouviram um grito vindo das mesinhas de safira, Lilly tinha ido pra água.

A cada sobrenome que se passava o de Alice se aproximava.

-Alice Mattfield!

Alice travou. Seu rosto ficou quase transparente e ela sentiu náuseas. John tocou seu ombro, encorajando-a.

Alice se dirigiu ao centro do círculo, nervosa. Ao chegar lá, se surpreendeu; ela não tinha feito nada e a fogueira se avivou demais até.

O fogo subiu com força, formando um coração ao subir. Todos das mesas vermelhas aplaudiram. Alice recebeu um broche vermelho em formato de chama, todos os outros usavam. Orgulhosa, se dirigiu a uma mesa vermelha onde aquele tal de Fitzpatrick estava sentado, e Sophie também, com mais alguns meninos. Fitzpatrick cumprimentou-a.


 

-Oi, eu sou Ronnan Fitzpatrick.


 


 


 

(vou deixar o suspense consumir vocês mahwahwamhwhma*risada dumal*. Até o próximo capitulo!! [=)

4º capitulo

A cabeça de Alice girava, e ela tinha a sensação de que ia vomitar. Ela ouvia vozes agitadas tagarelando mas não conseguia se concentrar em uma única conversa, até que ela ouviu uma voz mais alta bem perto delas. Quando olhou para cima, viu um menino alto e magrelo de cabelos castanhos e espetados para todos os lados, olhos aparentemente castanho-claros (Alice não estava em condições de definir cor de olho de seu ninguém) e um sorriso amigável. Ele disse algo, mas Alice não conseguiu entender.

-Desculpe, pode repetir o que disse? Não entendi. – disse a menina, um tanto envergonhada

-Ah, eu só perguntei se você queria ajuda para se levantar- Respondeu o garoto com um sorriso.

-Ah sim, claro. Muito obrigada.

Quando se levantou, Alice percebeu que Lilly já tinha se levantado e estava conversando com umas meninas que, aparentemente, já eram suas amigas. Ela olhou em volta e começou a reparar no lugar. Eles estavam de pé num caminho de pedra, e em volta era tudo terra. Havia muitas pessoas, aparentemente da mesma idade de Alice, alguns mais velhos.

Ela estava de frente para um conjunto de castelos, com muitas torres. Dois deles eram menores, muito diferentes; o outro era grande e ficava no meio. Tinham portas de carvalho enormes e os tijolos alaranjados estavam meio escuros, como se estivessem velhos a ponto de desabar, mas a estrutura parecia muito forte. Estava de noite por lá, mas Alice tinha certeza que estava claro quando saiu da casa dos Fletcher.

-A propósito, - disse o menino- meu nome é John. John Rubstein. - E estendeu a mão para Alice.

-Alice. Alice Mattfield- disse a garota, apertando a mão dele.

-Você veio com Lilly?

-Sim, ela é minha vizinha. Você a conhece?

-Claro! Ela é a melhor amiga da minha prima, Marty Blank.

-Ah, ela é legal, a Lilly.

-Sim, muito.

Nessa hora, um homem de mais ou menos 42 anos saiu da porta do castelo maior, andando ligeiro. Todos ficaram em silencio, muito curiosos.

-Olá, Meu nome é Paul Remington, sejam bem-vindos à Battle and Magic. Eu sou vice-diretor dessa escola e prezarei para que as regras sejam cumpridas. Agora vocês vão entrar no castelo principal. Por favor, sigam-me.

Todos os alunos foram andando pela estrada de terra e pedras, atrás de Paul, até chegarem nas portas do castelo.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

3º capitulo


A reação dos tios quando Alice contou a novidade chegou a ser engraçada: eles ficaram tão assustados que passaram a ser mais gentis com ela, dando roupas novas, tirando suas tarefas, dando mais comida... (#medo)

No dia combinado, um sábado, ela usou sua blusa nova, uma regata preta com uma única manga comprida verde oliva, e sua velha calça jeans.


 

Quando chegou na casa dos Fletcher, parou na calçada e ficou olhando para a frente amarela com janelas de cortinas brancas de renda e respirou fundo. Uma voz no fundo da cabeça dela disse:

-Vá em frente, esse é seu destino.

Alice tomou fôlego, andou pelo caminho de pedras e bateu na porta. Poucos segundos depois, Lilly abriu a porta, ofegante.

-Ah, graças a Deus você chegou, estamos atrasadas!!!

-Ah... me desculpe, demorei muito?

-Na verdade não, é que nós estamos um pouco adiantados. Mas chega de conversa, vem logo!!

Lilly puxava Alice pela mão por uma sala estranhamente organizada e comum até uma escada em caracol que descia para um porão. Uma estranha luz azulada saía de lá.

Quando elas chegaram no porão, Alice viu de onde vinha aquela luz: havia uma espiral estranha, luminosa e azulada, como um redemoinho no meio de um mar.

-O que é isso?- quis saber Alice.

-Isso- disse a Sra. Fletcher- é o portal que vai levar você e Lilly até a escola.

Alice não sabia o que fazer, ficou paralisada olhando o portal com cara de idiota. Já tinha visto coisas parecidas em um jogo de computador que sua prima jogava mas nunca pensou que pudessem existir portais de verdade.

-Bom, mas não vamos ficar aí parados, daqui a pouco ele fecha!!!

-Verdade Lilly...Vamos nos apressar!- disse o Sr. Fletcher- Primeiro de tudo, joguem suas malas, elas chegarão em segurança, não precisam se preocupar- acrescentou ele ao ver a cara de preocupação de Alice. Ela carregava coisas muito preciosas para ela naquela mala, na verdade apenas uma coisa preciosa: uma foto de seus pais.

Assim, as meninas jogaram suas malas e em seguida pularam juntas. Quando pulou, Alice teve a sensação de estar no olho de um furacão. Tudo a sua volta girava. Objetos, pessoas, lugares, paisagens, foram se tornando borrões coloridos. De repente, tudo começou a girar mais lentamente e as duas caíram em um chão duro e frio de pedra.


 


 


 

Muito em breve, 4º capítulo ;D

sábado, 15 de janeiro de 2011

Quase lá...

Oi gente, queria me desculpar por todo esse tempo q passei sem postar nada aqui no Alice Mattfield...n tinha nada pronto, a imaginação travou manolos!!! Anw, estou quaaase terminando o 3º capitulo e vem direto com o 4º, portanto serão dois de uma vez, pra compensar o tempo...
Então.... AGUARDEM!!